Deus seja Louvado.
Portuguese Chinese (Simplified) Dutch English French German Hungarian Russian Spanish

Rádio e Televisão: se você fizer do seu hobby sua profissão, você nunca terá que trabalhar!

Ele monta e coordena a grade de programação de uma emissora e redige roteiros de programas de ficção, como novelas e séries, ou de não ficção, como jornais e reality shows. Também chefia equipes de gravação e de produção de programas jornalísticos, educativos e de entretenimento, e orienta cenógrafos, marceneiros e eletricistas na construção de cenários. Atua como comentarista, apresentador ou locutor.

Pode também ter seu próprio canal no Youtube ou produzir narrativas transmídia, que integram diferentes linguagens e meios de comunicação.

Trabalha em emissoras de rádio e TV comerciais, educativas ou comunitárias, agências de publicidade e em produtoras de vídeo e de programas para transmissão via internet.

O que você pode fazer

Além das funções citadas a cima o profissional de Rádio e Televisão realiza atividades como: edição e selecionar sons, imagens e textos que farão parte de cada programa radiofônico ou televisivo. Na área da gestão, poderá administrar o funcionamento de empresas do setor ou de áreas específicas, como comercial, financeira, marketing, além de gerir dados, como os de audiência. Já na área de produção, terá que providenciar a infraestrutura para que o programa seja realizado e transmitido, preparando entrevistados, providenciando material de apoio, cuidando de cenários e equipamentos e solicitando o suporte técnico e logístico para as gravações.

Voltado para o roteiro a função se resume em escrever narrativas para novelas, minisséries ou filmes. Preparar blocos de programas em emissoras de rádio e TV. Não podendo esquecer da parte técnica o formado em Rádio e Televisão terá que operar equipamentos de gravação de imagem e som, iluminação e edição.

Mercado de Trabalho

A lei de incentivo à produção nacional nas emissoras de TV por assinatura, que exige uma cota mínima de programas nacionais na grade da TV paga, abre demanda para esse profissional.

O número de títulos nacionais para a TV paga passou de 1.711 para 3.344 produções entre 2012 e 2016. Até a Netflix, que não é uma emissora de TV, mas uma provedora de filmes e séries via streaming – e, portanto, não está obrigada a cumprir a lei –, já começou a produzir séries no Brasil.

A produção de conteúdos para a internet também eleva a procura pelo graduado, que pode atuar como empreendedor. Empresas de rádio e TV ainda são as maiores empregadoras, mas há vagas em produtoras independentes, que produzem programas para as emissoras de TV e rádio.

As melhores ofertas estão nas áreas de produção e edição de imagens, como no eixo Rio-São Paulo.

Dicas    

- O profissional deve buscar sempre o aprimoramento na área, o contato com novas tecnologias e manter uma boa rede de relacionamentos.

- É importante estar atento aos nichos de mercado, por exemplo, às novas aplicações para internet, celular e TV digital.

Copyright © 2015 - Faculdade de Pindamonhangaba