Deus seja Louvado.
Portuguese Chinese (Simplified) Dutch English French German Hungarian Russian Spanish

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

APLICA-SE A TODOS OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA VIDA CRISTÃ - FUNVIC

                O Programa de Iniciação Científica da FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA VIDA CRISTÃ-FUNVIC destina-se a alunos de graduação para desenvolvimento de pesquisa científica (IC) ou tecnológica (IT), sob a direção de um orientador qualificado, avaliado por sua súmula curricular.

Este Programa apóia a formação de novos recursos humanos para a pesquisa, desenvolvendo não só suas habilidades de investigação como também sua consciência crítica voltada a diferentes áreas do saber, em todas as áreas do conhecimento, por meio de:

  1. Bolsas de Iniciação Científica financiadas pela FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA VIDA CRISTÃ;
  2. Bolsas de Iniciação Científica financiadas pelo CNPq (PIBIC);
  3. Bolsas de Iniciação Científica financiadas pelo FAPESP;
  4. Bolsas de Iniciação Científica financiadas por qualquer outro tipo de fomento nacional ou internacional.

 

CAPÍTULO I - FINALIDADES E OBJETIVOS

Art. 1º - As normas que seguem visam orientar professores orientadores e acadêmicos de projetos de iniciação científica quanto aos procedimentos do Programa de Iniciação Científica da FUNVIC.

Art. 2º - O Programa de Iniciação Científica - PIC tem como objetivos:

I - Estimular a pesquisa junto aos acadêmicos dos cursos de graduação, objetivando a formação integral do discente, conduzida pela reflexão e criatividade;

II - Introduzir o jovem universitário no domínio do método científico e no aprendizado de técnicas específicas de investigação;

III - Disseminar entre os alunos a idéia de continuidade de formação na futura atividade profissional, especialmente no caso da carreira universitária ou de pesquisador;

IV - Contribuir para a emergência de grupos consistentes de pesquisa, mediante opções e contatos interdisciplinares;

V - Criar condições favoráveis para o incremento da produção e divulgação de resultados de pesquisa;

VI - Desenvolver, em docentes e discentes, a capacidade de criar e renovar a metodologia, visando a novas tecnologias.

 

CAPÍTULO II - ORGANIZAÇÃO

Art. 3º - O PIC da FUNVIC será coordenado por um Comitê Assessor vinculado à Coordenadoria de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão.

Art. 4º - O Comitê Assessor do PIC será integrado:

    I - por pesquisadores docentes dos diferentes cursos que publiquem, rotineiramente, em revistas com Qualis Capes A ou B (Comprovação por sua súmula curricular);

Art. 5º - Compete ao Comitê Assessor:

I - Acompanhar e avaliar o Programa de Iniciação Científica, visando o cumprimento dos objetivos e diretrizes fixados e verificar o desempenho de orientadores e acadêmicos;

II - Acompanhar e avaliar os projetos de iniciação científica, bem como a participação de seus integrantes;

III - Organizar o Simpósio Interno de Iniciação Científica, visando à divulgação de resultados dos projetos;

III – Apreciar e manifestar-se sobre os trabalhos produzidos pelos acadêmicos, com vistas a publicações;

IV - Proceder todos os encaminhamentos necessários para o bom andamento do Programa.

 

            CAPÍTULO III - DAS BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BIC)

                Art. 6º - A Quota de Bolsas de Iniciação Científica será fixada até 30 de janeiro de cada ano, por determinação do Diretor da IES, com aval do Conselho da FUNVIC.

                Art.7º - As Bolsas de Iniciação Científica consistirão de um valor equivalente a 40% da mensalidade vigente do curso de origem do aluno e será concedida na forma de desconto na mensalidade por 12 meses consecutivos;

                Art. 8º- Somente poderão ser indicados para as Bolsas de Iniciação Científica estudantes da FUNVIC, regularmente matriculados, nas seguintes condições:

                I -            Estejam em dia com as mensalidades escolares;

                II -          Tenham cursado com sucesso todas as disciplinas dos 3 primeiros semestres;

                III -        Não tenham concluído outro curso de graduação;

                V -          Possuam média geral igual ou superior a 7,0 (sete).

                Art. 9º-  O aluno poderá ser indicado por um único orientador e para um único projeto.            

   

CAPÍTULO IV - ORIENTADORES

Art. 10º - São requisitos essenciais para os orientadores:

I - Possuir vínculo empregatício com a FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA VIDA CRISTÃ;

II - Possuir titulação acadêmica não inferior a de mestre e produção intelectual relevante nos últimos 3 anos e aderente à linha de pesquisa do projeto que irá coordenar (Comprovação por sua súmula curricular);

Art. 11º - Cada solicitante poderá pleitear até 2 (duas) bolsas do PIC, independentemente do número de projetos apresentados. O professor orientador poderá receber até no máximo de 4 (quatro) horas-aulas por pesquisa a título de orientação acadêmica.

Art. 12º - Os compromissos dos orientadores para com o Programa são:

I - Elaborar o projeto de iniciação científica a ser desenvolvido pelo(s) acadêmico(s), conforme orientação específica;

II -  Responsabilizar-se pelo cumprimento da carga horária semanal de seu orientando;

III - Orientar os acadêmicos nas distintas fases do trabalho científico, incluindo a elaboração de relatórios e material para apresentação dos resultados em eventos científicos;

IV - Acompanhar as exposições dos resultados parciais ou finais da pesquisa efetuada pelos seus orientandos, quando da realização do Simpósio de Iniciação Científica;

V – Publicar em revista científica Qualis A ou B Nacional e ou Internacional anualmente durante a duração da pesquisa.

VI - Incluir o nome dos acadêmicos nas publicações e nos trabalhos apresentados em eventos científicos, cujos resultados tiveram a participação efetiva dos acadêmicos de iniciação científica;

VII - Informar ao Comitê Assessor sobre qualquer tipo de irregularidade ocorrida em relação às atividades dos acadêmicos participantes do PIC.

 

CAPÍTULO V - ACADÊMICOS

Art. 13º - Para participar do PIC, os acadêmicos deverão atender aos seguintes requisitos:

I -            Estar regularmente matriculado e frequentando qualquer curso de graduação da FUNVIC;

II -          Possuir disponibilidade para dedicação de, no mínimo, 8 (OITO) horas semanais ao projeto de iniciação científica, em turno diferente em que esteja matriculado.

Art. 14º - São compromissos dos acadêmicos:

I -            Executar, sob a orientação do docente, as atividades propostas no projeto de iniciação científica, com dedicação mínima de 8 (OITO) horas semanais;

II -          Participar plenamente de todas as atividades de pesquisa propostas pelo orientador;

III -        Apresentar os resultados finais da pesquisa, sob a forma de publicações ou relatórios;

IV -         Apresentar, obrigatoriamente, os resultados parciais ou finais da pesquisa, em exposições orais e/ou painéis, quando da realização do Simpósio de Iniciação Científica;

V -          Fazer referência à sua condição de integrante do Programa de Iniciação Científica, quando da publicação de trabalhos em eventos científicos.

 

CAPÍTULO VI - PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Art. 15º - O Projeto de Iniciação Científica deverá ser elaborado de acordo com as orientações específicas disponíveis na Coordenação dos Cursos, respeitando as normas institucionais.

Art. 16º - O projeto de iniciação científica deverá ser entregue ao Coordenador do Curso ao qual o orientador encontra-se vinculado, para prévia análise e encaminhamento para aprovação junto ao Comitê Assessor do PPIC.

Art. 17º - Após aprovação pelo Comitê, o projeto de iniciação científica deverá ser encaminhado à Coordenadoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão para parecer final e posterior acompanhamento, após aval final do Conselho da FUNVIC.

         Art. 18º - O projeto de Iniciação Científica aprovado terá vigência de 01 (um) ano, podendo ser renovado por mais 06 (seis) meses após a análise/avaliação do impacto do projeto.

                Parágrafo único. A vigência do projeto não pode ultrapassar a data de término do último semestre letivo do curso de graduação do aluno.

 

CAPÍTULO VII - ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO

Art. 19º - O acompanhamento quanto ao desenvolvimento dos projetos de iniciação científica e quanto à participação dos acadêmicos junto ao Programa de Iniciação Científica será efetuado da seguinte forma:

I - através de publicação, na íntegra, de artigo em revista especializada e através de relatórios finais, os quais serão encaminhados ao Comitê Assessor até 30 (trinta) dias após o término do projeto e;

II – através da apresentação dos resultados da pesquisa no Simpósio de Iniciação Científica.

Parágrafo Único: Os relatórios finais serão avaliados pelo Comitê Assessor.

Art. 20º - O projeto de iniciação científica poderá ser cancelado, a pedido do orientador ou do Comitê Assessor, desde que devidamente justificado.

 

CAPÍTULO VIII - DA DIVULGAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA

Art. 21º A produção científica da FUNVIC, além de contar com veículos próprios para sua publicação (Revista Ciência e Saúde On-line, Revista Eletrônica de Ciências Humanas e Revista Eletrônica de Ciências Exatas), poderá ser divulgada através de congressos científicos institucionais e em eventos regionais, nacionais e internacionais.

Art. 22º Os docentes orientadores poderão publicar somente uma vez ao ano em revista institucional, referente à sua pesquisa; devendo completar a sua publicação anual (outra publicação), em revista nacional ou internacional indexada Qualis A ou B, no mesmo ano.

Art. 23º Os docentes orientadores remunerados durante o desenvolvimento da pesquisa, não poderão pleitear o incentivo a produção científica referente à Portaria 006/2009.

Art. 24º Os docentes orientadores remunerados por órgão externo de fomento e ou orientador voluntário poderão pleitear o incentivo a produção científica referente à Portaria 006/2009.

Art. 25º Os orientadores remunerados assinarão um termo de compromisso com a Instituição, para desenvolvimento da pesquisa, do sigilo, e do compromisso da publicação, conforme normas desde regulamento.

Art. 26º Os docentes orientadores poderão optar pela remuneração por órgão externo de fomento e ou pelo termo voluntariado de orientação à pesquisa.

 

CAPÍTULO VIII - DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS E FINAIS

Art. 27º - O orientador e/ou acadêmico será considerado inadimplente com o Programa se deixar de cumprir o disposto neste Regulamento.

Art. 28º -    O Comitê Assessor deverá elaborar, anualmente, um relatório de desenvolvimento dos projetos de iniciação científica e encaminhá-lo à Coordenadoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão, para apreciação.

Art. 29º - Os casos omissos serão resolvidos pelo Comitê Assessor, ouvidos, se necessários, instâncias acadêmicas superiores (Coordenadoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão, Conselho Diretor).

Art. 30º - Este Regulamento entrará em vigor na data de sua aprovação pelo Conselho Diretor.

Copyright © 2015 - Faculdade de Pindamonhangaba